sábado, 15 de março de 2014

Nossa convivência x transtorno bipolar


Como sofri como seu modo criança e duro ao longo 
dos anos. Como sofreu como meu lado oscilante, descompensado - ora triste ora extremamente animado, as vezes carente, outras ríspido, em tantos momentos perdida, em outros tantos com a certeza do que tinha que fazer, impulsiva, explosiva, apreensiva, dócil, mesquinha, lenta ou fugaz.
Daqui em diante sejamos como duas paralelas, nada mais, que meu caminho seja sereno e leve, mas que ainda tenha força e vigor para realizar o que desejo e necessito e que o seu seja maduro e apto a compreensão como já tem sido. Não venha me com antagonismos e distanciamentos, ande apenas ao meu lado...
Já me fez perdida e confusa. Hoje,novamente juntos, cruzados, respeitando limites e diferenças. sinto-me tranquila.

Sejamos apenas como paralelas que de tão próximas parecemos uma reta aos olhos do mundo.


Texto de Teresa Azevedo



Nenhum comentário:

Postar um comentário