sábado, 29 de março de 2014

O amor é desalinho

O amor é desalinho
Desatino de rendição
Despropósito de correção.

É fascínio incontido
Fermento excedido
Exorbitância em dar-se.

É compensação mínima,
O criar de uma obra-prima

A permear o infinito.


Poesia extraída do livro "Faíscas da Paixão" de Teresa Azevedo
Pintura de Claude Monet "O terraço de Saint Andresse" - 1867

Nenhum comentário:

Postar um comentário