domingo, 16 de março de 2014

Obsoletamente imprescindível


Cintila a luz com teu ardor,
plagia meus mundos e eu, permissão.
Funde pleno em meu ser,
compacta em meus moldes, pulsante e erétil.
Procria e provoca, torna-te obsoleto.
Mas a distância de um braço, não mais...


Texto retirado do livro “Você, meu porto seguro” de Teresa Azevedo


Nenhum comentário:

Postar um comentário