sexta-feira, 16 de maio de 2014

Vem ser somente meu



A cada partida leva consigo minha melhor parte.
Mas, se me leva, rouba-me de mim
E então não pode ir sem que volte.
Pois, ao deixar-me sozinha de mim, sofro.
Afinal, o que resta só pode pensar em você
Se neste corpo que fica suas mãos se tatuaram
E os meus olhos o seu rosto ainda vêem.
A minha boca ainda sente o calor dos seus beijos
Assim como seus abraços ainda me circundam.
O seu sorriso me falta.
Seu humor não pode me fazer rir agora,
Só um nó que me aperta o peito resta.
Devolva-me a mim.
Vem ser somente meu...


Texto extraído do livro “Faíscas da Paixão” que pode ser adquirido no site www.clubedeautores.com.br


Tela do foi um pintor britânico Edmund Blair Leighton associado ao Romantismo e a Irmandade Pré-Rafaelita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário