domingo, 1 de junho de 2014

Ciranda de mim





Ciranda de mim

Cala.
Rala e mata.
Grita e fita.
Pega e foge.
Engole.
Aiiiiiiiiinnnn.
Quimeras.
Saudade.
Um beijo, um queijo, um amor.
O vinho, espinho.
Aperto de mão.
Cortejo, ciranda de mim.
Cantiga, bem antiga.
Beleza.
Lampejo.
Grilos e sapos.
Rio ao mar.
Onde está o rio?
Penugem.
Perplexidade simples.
Complexidade.
Um ser, um só.
Somos sós,
Vamos nós.
Sou apenas um.
Não há nenhum.
Existe alguém.
Ai, ai (lentamente).
Creio.
Dúvida.
Como pode?
Feiúra e candura.
Capa, manto.
Miolo, olho.
Ouvido a ouvir.
Atenção!
Beliscão.
Aiiii!!!


Texto de Teresa Azevedo, cuja obra pode ser adquirida no clubedeautores.com.br

Tela de Paul Klee - pintor e poeta suíço naturalizado alemão, de estilo individualista com influência de várias tendências como o expressionismo, cubismo, e surrealismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário